15 fatos sobre sexo que seus professores de história não te contaram

1. A Imperatriz da Rússia no século XVIII, Catarina, a Grande, empregava "fazedores de cócegas nos pés" para excitá-la.


Catarina e outras czarinas, como Ana Leopoldovna, empregavam moças e eunucos como fazedores de cócegas nos pés em tempo integral para excitá-las sexualmente. Os fazedores de cócegas também contavam histórias obscenas para ajudar a Imperatriz a entrar no clima para se divertir eroticamente com seu marido (ou amante) e eram bem pagos por seus serviços. Quem dera essa ainda fosse uma opção de carreira.
theobscene.tumblr.com
Catarina e outras czarinas, como Ana Leopoldovna, empregavam moças e eunucos como fazedores de cócegas nos pés em tempo integral para excitá-las sexualmente. Os fazedores de cócegas também contavam histórias obscenas para ajudar a Imperatriz a entrar no clima para se divertir eroticamente com seu marido (ou amante) e eram bem pagos por seus serviços. Quem dera essa ainda fosse uma opção de carreira.

2. Os primeiros anéis penianos eram feitos de cílios de bode.


Anéis penianos eram comumente usados durante a era das dinastias Jin e Song na China (por volta de 1200) e eram feitos com pálpebras de bodes. Os cílios dos bodes geralmente eram deixados para propiciar um estímulo extra aos humanos envolvidos. Eca. O mais bizarro é que ainda dá de comprar "anéis penianos naturais de olho de bode" on-line atualmente. Não.
Aliexpress
Anéis penianos eram comumente usados durante a era das dinastias Jin e Song na China(por volta de 1200) e eram feitos com pálpebras de bodes. Os cílios dos bodes geralmente eram deixados para propiciar um estímulo extra aos humanos envolvidos. Eca. O mais bizarro é que ainda dá de comprar "anéis penianos naturais de olho de bode" on-line atualmente. Não.

3. E os primeiros dildos eram feitos de pedra.


Este pênis antigo de pedra é uma das representações mais antigas da genitália masculina já descobertas. Ele veio da caverna Hohle Fels, na Alemanha, e tem uns 28.000 anos. Versões mais recentes dos dildos eram cobertas por uma bainha de couro para deixá-los mais macios (e quentinhos), apesar de a palavra "dildo" não ser usada até a Era da Restauração, em um poema britânico indecente sobre a popularidade dos dildos importados da Itália:"Vós, damas de toda a alegre InglaterraQue costumam beijar a mão da DuquesaDigam, vocês não têm visto ultimamenteUm nobre italiano chamado Signor Dildo?..."
World Archaeology Prehistory Museum - Blaubergen / Creative Commons
Este pênis antigo de pedra é uma das representações mais antigas da genitália masculina já descobertas. Ele veio da caverna Hohle Fels, na Alemanha, e tem uns 28.000 anos. Versões mais recentes dos dildos eram cobertas por uma bainha de couro para deixá-los mais macios (e quentinhos), apesar de a palavra "dildo" não ser usada até a Era da Restauração, em um poema britânico indecente sobre a popularidade dos dildos importados da Itália:
"Vós, damas de toda a alegre Inglaterra
Que costumam beijar a mão da Duquesa
Digam, vocês não têm visto ultimamente
Um nobre italiano chamado Signor Dildo?..."

4. "Festas dos amassos" sensuais realmente faziam sucesso nos anos 20.


Muitas moças ousadas dos anos 20 rejeitavam os modelos conservadores, pudicos e vitorianos de decência de seus pais e, em vez disso, iam a "festas dos amassos" com o propósito expresso de formarem pares com rapazes, beijá-los, abraçá-los, tocá-los e brincar um pouco por debaixo da cinta. Contudo, eles não chegavam a transar: os tempos não mudaram tanto assim.
Twitter: @FlapperCloche
Muitas moças ousadas dos anos 20 rejeitavam os modelos conservadores, pudicos e vitorianos de decência de seus pais e, em vez disso, iam a "festas dos amassos" com o propósito expresso de formarem pares com rapazes, beijá-los, abraçá-los, tocá-los e brincar um pouco por debaixo da cinta. Contudo, eles não chegavam a transar: os tempos não mudaram tanto assim.

5. E o mesmo com a pornografia pesada.


É um equívoco comum pensar que as pessoas eram puritanas há 100 anos. Praticamente na mesma época em que as câmeras foram inventadas, as pessoas começaram a tirar fotos nuas, como essa, e as vendiam como cartões postais (discretamente, claro). Muitas também mostravam sexo com penetração, assim como práticas sexuais "fora dos padrões", como lesbianismo. Você certamente não iria querer enviar uma por acidente para a sua mãe.
theobscene.tumblr.com
É um equívoco comum pensar que as pessoas eram puritanas há 100 anos. Praticamente na mesma época em que as câmeras foram inventadas, as pessoas começaram a tirar fotos nuas, como essa, e as vendiam como cartões postais (discretamente, claro). Muitas também mostravam sexo com penetração, assim como práticas sexuais "fora dos padrões", como lesbianismo. Você certamente não iria querer enviar uma por acidente para a sua mãe.

6. Médicos vitorianos costumavam masturbar suas pacientes.


A "histeria" feminina (isto é, ansiedade, irritabilidade, nervosismo e outros sintomas de se ser uma mulher com poucos direitos em uma sociedade patriarcal repressora) era vista como um problema sério durante o período vitoriano. Mas os médicos descobriram que esses sintomas podiam ser aliviados temporariamente com uma "massagem pélvica com os dedos" (heh) que, se feita corretamente, induziria um "paroxismo histérico". Bem...realmente.
Sony Pictures
A "histeria" feminina (isto é, ansiedade, irritabilidade, nervosismo e outros sintomas de se ser uma mulher com poucos direitos em uma sociedade patriarcal repressora) era vista como um problema sério durante o período vitoriano. Mas os médicos descobriram que esses sintomas podiam ser aliviados temporariamente com uma "massagem pélvica com os dedos" (heh) que, se feita corretamente, induziria um "paroxismo histérico". Bem...realmente.

7. O Rei Eduardo VIII do Reino Unido passava muito tempo em um bordel francês.


O bordel se chamava Le Chabanais e era um dos mais exclusivos de Paris. Na década de 1880, era um dos refúgios preferidos de "Bertie", que era (na época) o Príncipe do País de Gales e que viria a tornar-se o Rei Eduardo VIII, bisavô da atual rainha. Ele passava tanto tempo no bordel que um assento especial foi feito para ele (vide foto), com o fim de dar apoio ao seu peso considerável enquanto ele passava o rodo em uma série de cortesãs francesas.
imgur.com
O bordel se chamava Le Chabanais e era um dos mais exclusivos de Paris. Na década de 1880, era um dos refúgios preferidos de "Bertie", que era (na época) o Príncipe do País de Gales e que viria a tornar-se o Rei Eduardo VIII, bisavô da atual rainha. Ele passava tanto tempo no bordel que um assento especial foi feito para ele (vide foto), com o fim de dar apoio ao seu peso considerável enquanto ele passava o rodo em uma série de cortesãs francesas.

8. Dava de comprar manuais de sexo na Londres do século XVIII.


A prostituição era legal na capital e manuais eram publicados e atualizados anualmente para ajudar homens a encontrarem a prostituta perfeita para eles. Os guias continham preços, idades, aparência, técnicas, avaliações e o tipo de atividades que a mulher estava disposta a fazer (com detalhes vívidos). Era tipo uma versão sórdida do Tripadvisor.
en.wikipedia.org
A prostituição era legal na capital e manuais eram publicados e atualizados anualmente para ajudar homens a encontrarem a prostituta perfeita para eles. Os guias continham preços, idades, aparência, técnicas, avaliações e o tipo de atividades que a mulher estava disposta a fazer (com detalhes vívidos). Era tipo uma versão sórdida do Tripadvisor.

9. E clubes escandalosos de sexo também faziam sucesso.


Clubes de sexo também faziam sucesso no século XVIII, e um dos mais famosos era o Beggar's Benison em St. Andrews, na Escócia. Membros se reuniam para ler livros banidos como Fanny Hill - Memórias de uma Mulher de Prazer e para transar com moças dispostas a isso. Novos membros eram iniciados em uma cerimônia que envolvia bater punheta em uma tigela compartilhada e beber de um copo no formato de um pênis. Hã...OK.
atlasobscura.tumblr.com
Clubes de sexo também faziam sucesso no século XVIII, e um dos mais famosos era o Beggar's Benison em St. Andrews, na Escócia. Membros se reuniam para ler livros banidos como Fanny Hill - Memórias de uma Mulher de Prazer e para transar com moças dispostas a isso. Novos membros eram iniciados em uma cerimônia que envolvia bater punheta em uma tigela compartilhada e beber de um copo no formato de um pênis. Hã...OK.

10. Em 300 A.C., Roma tinha 45 bordéis, e eles eram populares a ponto de terem que ficar fechados até o fim da tarde.


Se eles ficassem abertos de manhã, ninguém faria questão de ir trabalhar. A prostituição era completamente legal em Roma e os homens também ofereciam seus serviços. Em um determinado ponto, um censo mostrou que havia 32.000 profissionais do sexo trabalhando na cidade. "Placas de trânsito" em forma de pênis indicavam o caminho até a próxima casa do prazer.
imgur.com
Se eles ficassem abertos de manhã, ninguém faria questão de ir trabalhar. A prostituição era completamente legal em Roma e os homens também ofereciam seus serviços. Em um determinado ponto, um censo mostrou que havia 32.000 profissionais do sexo trabalhando na cidade. "Placas de trânsito" em forma de pênis indicavam o caminho até a próxima casa do prazer.

11. Romanos usavam "fichas de bordel" especiais para pagar por sexo.


Para superar a barreira do idioma enfrentada por soldados destacados em todo o Império, o exército teve a ideia de criar essas fichas, que apresentavam uma gama completa de atividades e posições sexuais. As moedas (Spintriae) tinham valores diferentes de acordo com a atividade sexual nelas ilustrada. Tudo o que os soldados tinham que fazer era apontar e pagar. Genial.
Discovery Channel
Para superar a barreira do idioma enfrentada por soldados destacados em todo o Império, o exército teve a ideia de criar essas fichas, que apresentavam uma gama completa de atividades e posições sexuais. As moedas (Spintriae) tinham valores diferentes de acordo com a atividade sexual nelas ilustrada. Tudo o que os soldados tinham que fazer era apontar e pagar. Genial.

12. As mulheres da Roma Antiga costumavam usar o suor raspado da pele dos gladiadores como afrodisíaco.


Os romanos não usavam sabonete; eles preferiam se cobrir de azeite e raspar o suor e sujeira acumulados da pele com uma ferramenta afiada chamada estrígil. Muitas mulheres da aristocracia romana que sentiam tesão por algum gladiador específico (da mesma forma que as pessoas sentem tesão por celebridades hoje em dia) compravam a graxa do corpo desse gladiador e usavam como hidratante e lubrificante.
HBO
Os romanos não usavam sabonete; eles preferiam se cobrir de azeite e raspar o suor e sujeira acumulados da pele com uma ferramenta afiada chamada estrígil. Muitas mulheres da aristocracia romana que sentiam tesão por algum gladiador específico (da mesma forma que as pessoas sentem tesão por celebridades hoje em dia) compravam a graxa do corpo desse gladiador e usavam como hidratante e lubrificante.

13. Poemas sobre sexo eram bem populares na França medieval.


Antes do Pornhub, as pessoas batiam uma ouvindo intérpretes itinerantes apresentarem histórias e poemas cômicos e depravados chamados fabliaux, com títulos como A Donzela Que Não Podia Ouvir Foda, O Cavaleiro Que Fazia Bucetas E Cus Falarem, O Padre Que Espiava e Berangier Do Cu Comprido. Talvez a HBO devesse tomar nota. Você pode ler o Berangier do Cu Comprido aqui, caso realmente queira.
FOX
Antes do Pornhub, as pessoas batiam uma ouvindo intérpretes itinerantes apresentarem histórias e poemas cômicos e depravados chamados fabliaux, com títulos como A Donzela Que Não Podia Ouvir Foda, O Cavaleiro Que Fazia Bucetas E Cus Falarem, O Padre Que Espiava e Berangier Do Cu Comprido. Talvez a HBO devesse tomar nota. Você pode ler o Berangier do Cu Comprido aqui, caso realmente queira.

14. Mulheres medievais trapaceavam nos "testes de virgindade".


Esperava-se que a mulher medieval "pura e virtuosa" fosse virgem na sua noite de núpcias. Contudo, mulheres (convenientemente) tinham acesso a guias clandestinos sobre como falsificar a virgindade. Um livro diz: "no dia anterior ao casamento dela, deixe-a colocar cuidadosamente uma sanguessuga nos lábios; então o sangue irá escorrer e uma pequena crosta se formará naquele lugar...ao ter relações, a falsa virgem irá (sangrar e) enganar o homem." Eca.
en.wikipedia.org!.jpg / Creative Commons
Esperava-se que a mulher medieval "pura e virtuosa" fosse virgem na sua noite de núpcias. Contudo, mulheres (convenientemente) tinham acesso a guias clandestinos sobre como falsificar a virgindade. Um livro diz: "no dia anterior ao casamento dela, deixe-a colocar cuidadosamente uma sanguessuga nos lábios; então o sangue irá escorrer e uma pequena crosta se formará naquele lugar...ao ter relações, a falsa virgem irá (sangrar e) enganar o homem." Eca.

15. E existiam julgamentos por impotência na França medieval.


Havia poucas maneiras pelas quais uma mulher podia se divorciar de seu marido na França do século XVI, mas havia um fator decisivo: elas podiam pedir anulação do casamento se pudessem provar que o marido não conseguia ter uma ereção. Os testes aconteciam no tribunal. Um homem tinha que conseguir ejacular por si mesmo na frente de um júri (uma façanha e tanto) e, potencialmente, também ter que transar com sua esposa. E você achava que a Judge Judy era dramática.
FOX
Havia poucas maneiras pelas quais uma mulher podia se divorciar de seu marido na França do século XVI, mas havia um fator decisivo: elas podiam pedir anulação do casamento se pudessem provar que o marido não conseguia ter uma ereção. Os testes aconteciam no tribunal. Um homem tinha que conseguir ejacular por si mesmo na frente de um júri (uma façanha e tanto) e, potencialmente, também ter que transar com sua esposa.
E você achava que a Judge Judy era dramática.
Este post foi traduzido do inglês.
Compartilhe:

Michel Belli

Poste um Comentário: