Chefe global da marca fala por quê a Microsoft quer fazer o videogame mais poderoso do mercado

Chefe global da marca fala por quê a Microsoft quer fazer o videogame mais poderoso do mercado

Xbox One X é a principal novidade da Microsoft em 2017, prometendo ser o "console mais poderoso de todos os tempos". É também um dos maiores lançamentos da empresa desde que Phil Spencer assumiu como chefe global de Xbox.
Spencer veio ao país pela segunda vez, novamente na Brasil Game Show, para anunciar a chegada do One X ao país, no fim do ano. O executivo recebeu o The Enemy para falar sobre o lançamento do aparelho, os motivos pelos quais a Microsoft está apostando alto no poder do hardware e responder a uma pergunta: afinal, o One X é ou não um console de nova geração?
Xbox One X é ou não um console de nova geração? Phil Spencer responde

Veja a entrevista abaixo:
Muito da sua gestão à frente do Xbox têm sido sobre ouvir os jogadores. Nós vemos você escutá-los, anotar, ver o que eles querem, e o quanto disso foi levado em consideração ao construir o Xbox One X?
È crítico. Há uma porção de jogadores que querem poder. Uma das coisas que eu tenho aqui comigo, o controle Elite, faz alguns anos que lançamos. Quando o anunciamos, na E3, lembro das pessoas falando que era caro demais, e que não era para todo mundo. E nós respondemos: não é para todo mundo. É para um tipo de jogador que quer o melhor. Quando chegamos na Gamescom, as pessoas estavam jogando com o controle e falando "meu Deus, é demais!", e aí vendemos todas as unidades que fabricamos.
Eu uso essa experiência e a experiência online, quando estou jogando, de que há um grupo de jogadores que quer apenas o melhor. O console mais poderoso. Querem jogar com 4K nativo, HDR, ter taxas de quadro sólidas, ter as melhores versões dos jogos que saem, e é isso que queremos entregar. Queremos que o Xbox One seja sobre poder, sobre valor, desempenho, e o One X permite que lancemos o console mais poderoso já feito. Acho que as pessoas vão gostar.
Como você acha que os jogos vão aproveitar o One X, do ponto de vista dos desenvolvedores? Como eles estão lidando com todo esse poder que tem em mãos?
Têm sido ótimo. Temos cerca de 130 jogos com melhorias no One X, e uma das decisões que tomamos logo no começo foi a de deixar os desenvolvedores fazer o que quisessem com esse poder. Não fizemos nada do tipo "todos os jogos precisam ter suporte ao One X", ou "tem que ter 4K nativo, senão não lança", nada disso.
Queremos que os desenvolvedores usem as ferramentas da maneira que eles acham mais benéfica para o jogo que querem fazer, e isso se traduz em taxas de quadro sólidas ou resoluções melhores. Nós suportamos a tecnologia de renderização checkerboarding, se eles quiserem ir por esse caminho, e claro, suportamos 4K nativo em muitos jogos que querem tomar esse caminho. Dar aos desenvolvedores escolhas em fazer o que eles querem fazer resulta nos melhores jogos, os jogos que eu e você queremos jogar, na visão de quem fez, e não na visão de outras pessoas.

Os desenvolvedores estão apoiando muito bem a plataforma. Quando projetamos o Xbox One X, falamos com desenvolvedores que estavam fazendo jogos em 4K para PC, e quisemos construir a transição mais fluida para que eles levassem seus jogos em 4K para o One X, e agora estamos vendo os grandes resultados desse foco, pois os times estão produzindo para o One X bem rápido.
Como você se sente com o Xbox One X como o futuro da família Xbox? Vocês o veem como o meio do caminho entre o Xbox One original e uma eventual futura geração? Ou podemos chamar o One X de nova geração já?
Acho que a definição de gerações está mudando. Não só por nós, mas outras pessoas também estão mudando. Uma das coisas que fizemos foi retrocompatibilidade, com o Xbox original, e temos cerca de 400 títulos do 360 retrocompatíveis. Seus jogos do Xbox One rodam no One S, e claro, no One X.
Uma das definições de geração é a de que, com o lançamento de uma máquina nova, você precisa fazer um upgrade para continuar jogando o que sai. Não estamos fazendo isso, e espero que não façamos isso no futuro.
Dito isso, temos evoluções no hardware. E, enquanto o hardware evolui, quero me certificar de que temos grandes designs no mercado que as pessoas podem comprar. Olhando o One S e o One X, estou incrivelmente orgulhoso de ambos, de um ponto de vista do design industrial, do valor do S ao poder do X, é um lineup poderoso, de dois aparelhos.
O que podemos esperar do line-up do Xbox One em 2018? Vocês anunciaram muitos jogos na E3... podemos esperar o mesmo ano que vem?
Sim. Estava olhando o line-up para o ano que vem, para jogadores de Xbox, e me sinto muito bem. Temos, assim como neste ano, estamos fazendo coisas novas, bem legais. Estou empolgado para ver jogos como Sea of Thieves, que está jogável aqui e as pessoas estão fazendo fila, podem jogar. Eles continuam a adicionar coisas até o jogo sair. State of Decay, Crackdown, tivemos que adiar, mas adiamos para tornar o jogo melhor, e acho que isso é importante.
Temos outros jogos importantes. A line-up de first party e third party é ótima neste ano e no próximo. O negócio de videogames está crescendo como um todo, e vemos mais e mais investimento nessa categoria, e nos certificar de que as equipes continuem focadas no conteúdo é crítico, nós inclusos.


Compartilhe:

Michel Belli

Poste um Comentário: