Alguns deixam sua marca pela vida; outros, pela forma como se vão

As 10 mortes mais bizarras da história

10. Enterrados pelo lixo - Langley e Homer Collyer (1947)

 No pior caso de acumuladores da História, Langley passou 19 anos trazendo coisas da rua e nunca jogando nada fora. Seu irmão, cego, vivia confinado em meio ao lixo, que se acumulava até o teto no edifício de quatro andares em Nova York. Com medo de tentarem levar seu tesouro, Langley criou armadilhas. Terminou vítima de uma delas. Homer, dependente e preso, pereceu dias depois.

9. Macacos o morderam - Alexandre da Grécia (1920)

Aqui se vê toda a gravidade da expressão “macacos me mordam!”. Um dia, num passeio pelo Palácio de Tatoi, o rei viu seu cachorro se estranhar com um macaco-de-gibraltar. Acabou levando múltiplas dentadas e morrendo de infecção. Não existem macacos nativos da Grécia. Nem o rei era fã deles: o primata regicida era o bicho de estimação do caseiro.

8. Nadou de armadura - Frederico Barbarossa (1190)

O maior de todos os imperadores do Sacro Império Romano-Germânico estava em marcha acelerada para retomar Jerusalém dos islâmicos, na Terceira Cruzada. Em seu caminho, havia um rio. A batalha não podia esperar. O imperador liderou o avanço entrando na água, todo paramentado. A correnteza tirou o cavalo de sob suas pernas e Frederico fez o contrário de flutuar.

7. Uma sobremesa - Adolf Frederick (1771)

Após uma suntuosa refeição com lagosta, caviar, chucrute, arenque e champanhe, o rei da Suécia decidiu arrematar com semlas, um tipo de pão doce sueco parecido com o sonho. Catorze delas, acompanhadas por creme de leite. Morreria na mesma noite de obstrução intestinal ou talvez intoxicação alimentar – ninguém ousou fazer uma grotesca autópsia.

6. Bombardeado com uma tartaruga - Ésquilo (455 a.C.)

É irônico uma morte tão cômica ter acometido um dos maiores autores de tragédias da Grécia. Apreciando a paisagem da cidade de Gela, na Sicília, o dramaturgo foi atingido letalmente por uma tartaruga vinda dos céus. As águias da ilha matam suas presas deixando-as cair sobre as pedras. Concluiu-se que a ave confundiu sua careca com uma rocha.

5. Segurou demais o xixi - Tycho Brahe (1601)

O dinamarquês foi um dos maiores astrônomos de seu tempo, mestre de Johannes Kepler. Durante um banquete, recusou-se a deixar a mesa, porque considerava isso falta de cortesia. Não se sabe se sua bexiga explodiu ou foi seriamente avariada, mas ele morreu 11 dias depois. Pediu para escreverem em seu epitáfio: “Viveu como um sábio, morreu como um tolo”.

4. Era bom demais como advogado - Clement Vallandigham (1871)

Ele estava defendendo um cliente acusado de assassinato numa briga de bar em Lebanon, Ohio. Sua tese é de que havia sido um acidente, o revólver da vítima tendo disparado sozinho quando tentou se levantar para entrar na confusão. Para provar, reencenou o momento com um revólver. Que estava carregado e, de fato, disparou. Morreu no dia seguinte. Mas ganhou o caso.

3. Explodiu - Trus Hellevik (1983)

O horrendo acidente da plataforma Byford-Dolphin aconteceu no início do processo de descompressão numa câmara hiperbárica, com 9 vezes a pressão atmosférica terrestre. Um operador abriu uma válvula por acidente e a pressão saiu de uma vez. Hellevik, que estava mais próximo da válvula, simplesmente explodiu em vários pedaços e seus restos mataram o operador.

2. Mordido por um morto - Sigurd Eysteinsson (892)

O conquistador viking da Escócia decidiu tripudiar do corpo de seu adversário, Máel Brigte, o rei celta de Moray. Cortou sua cabeça, prendeu-a na sela e saiu para desfilar com seu cavalo. Batendo de cima para baixo, o crânio de Brigte raspou sua perna com os dentes e a ferida se infeccionaria letalmente. O mais próximo de uma morte por zumbi a acontecer na História.

1. Acordado por uma vaca - João Maria de Souza (2013)

Ele dormia tranquilamente com a esposa, em sua casa na zona rural de Caratinga, Minas Gerais. Então uma vaca caiu através do telhado, em cima da cama. Levado ao hospital ainda vivo, padeceu por hemorragia interna. A casa ficava de costas para um barranco e o animal havia saltado sobre o teto, que imediatamente cedeu. A vaca sobreviveria sem complicações.

Compartilhe:

Michel Belli

Poste um Comentário: