São cristais de gelo, o mesmo vapor d’água condensado das nuvens.

São cristais de gelo, o mesmo vapor d’água condensado das nuvens.

Eles compõem o rastro de condensação, que rasga o céu se há grande diferença de pressão e de temperatura entre os gases quentes emitidos pelas turbinas (incluindo vapor d’água) e a temperatura do ar ao redor do avião – entre -40 e -50 oC, dependendo da altitude.


Além disso, a queima de combustível produz micropartículas que atraem vapor d’água, facilitando a formação dos rastros que tanto te intrigam.

Compartilhe:

Karina Faris

Poste um Comentário: