Agora, a brasileira Natalia Oliveira, doutora pela Universidade Federal de Pernambuco, apresenta seu trabalho no formato de dança

O formato de linguagem escrita não é o único jeito de apresentar o resultado de uma longa pesquisa. Apesar de incomum e até ousado, volta e meia pesquisadores inovam ao pensar em formatos diferentes para apresentar seu trabalho, como o norte-americano Nick Sousanis, que fez sua tese de doutorado na Universidade de Columbia (EUA) em formato de quadrinhos.


Pesquisadora brasileira apresenta seu doutorado em uma divertida dança


Agora, a brasileira Natalia Oliveira, doutora pela Universidade Federal de Pernambuco, apresenta seu trabalho no formato de dança. A tese “Desenvolvimento de Biossensores para as Ciências Forenses” é uma das finalistas do concurso “Dance seu doutorado”, da revista Science.
O vídeo é chamado de “Pop, Dip and Spin: The legendar Biosensor for Forensic Sciences”, e foi gravado no centro histórico de Recife e no Laboratório de Imunopatia Keizo Asami da UFPE, com a coreografia do grupo de dança Vogue 4 Recife.
Nele, um crime um tanto artístico é cometido em plena luz do dia, e a polícia mais estilosa do Brasil é chamada para investigar o assassinato. O assassino, porém, remove provas do crime e tenta apagar rastros de sangue que o incriminariam. É aí que o biosensor estudado por Natalia entra em cena, e ajuda os investigadores forenses a solucionarem o crime.
“Biosensor é um dispositivo que combina biomoléculas com um transdutor e um processador de sinais. A importância do biosensor vem da sua alta especificidade e sensibilidade que permite a detecção. Então ele pode detectar manchas de sangue que foram limpas da cena de um crime”, explica a legenda do vídeo.
Há dez anos, a revista convida pesquisadores do mundo todo a apresentar suas pesquisas de forma artística, para tornar a ciência mais acessível para toda a sociedade. Nesta edição, 53 vídeos foram enviados de países como a França, Índia e Rússia. Do Brasil, apenas Natalia participou.
Ela é uma das 12 finalistas que serão votadas por uma banca de cientistas e dançarinos que vão avaliar os méritos artísticos e científicos dos candidatos. O vencedor de cada uma das quatro categorias – biologia, química, física e ciências sociais –levará para casa um prêmio de U$2,5 mil em dinheiro. Já o primeiro colocado geral será convidado para viajar para Austin (Texas) para apresentar seu vídeo. [Open Culture, Science]
O público geral também pode votar nos vídeos até o dia 30 de outubro.
Veja o vídeo de Natalia Oliveira:

Confira outros vídeos:


Compartilhe:

Michel Belli

Poste um Comentário: