Qualquer passeio por um museu de arte clássica vai revelar várias telas escuras e amareladas.

Qualquer passeio por um museu de arte clássica vai revelar várias telas escuras e amareladas. Enquanto alguns podem pensar que este era o estilo preferido por pintores de alguns séculos atrás, é preciso lembrar que a tinta e verniz sofrem com a ação do tempo, e que a pintura vai ficando de uma cor diferente da original. Por isso, é necessário que as obras mais danificadas sejam restauradas por uma equipe capacitada.

Restauração recupera cor original de pintura de 200 anos que estava amarelada

Philip Mould, um apresentador de um programa de TV sobre arte do Reino Unido, registrou esse processo em que o verniz de uma obra de 200 anos é cuidadosamente removido para revelar as cores delicadas que estavam escondidas na camada de baixo.
As obras de arte são cobertas com verniz pelo mesmo motivo que os móveis: para haver uma camada protetora que isola o objeto da poeira, luz do sol, umidade e contato com as mãos humanas. O problema é que esse verniz vai ficando danificado através dos anos.
Para restaurar a obra, o profissional dissolve o verniz antigo e aplica uma nova camada. Os restauradores precisam de muita técnica e talento para não remover a tinta junto com o verniz antigo. 
Confira:


Compartilhe:

Michel Belli

Poste um Comentário: