Estamos falando de assassinos que gostam de tirar fotos de suas vítimas antes de cometerem os crimes.

Estamos falando de assassinos que gostam de tirar fotos de suas vítimas antes de cometerem os crimes. Alguns desses casos foram compilados pela revista digital Bird in Flight, e nós trouxemos as imagens para vocês. Preparados? Lembrando que não há imagens fortes, a não ser dos olhares aflitos das vítimas.


Rodney James Alcala
Rodney James Alcala foi um dos assassinos mais infames dos EUA. Hoje com seus 74 anos de idade, ele continua preso na Califórnia enquanto aguarda a execução da sua sentença de morte. Há evidências que ele tenha cometido pelo menos sete assassinatos na década de 1970. Porém, acredita-se que o número real de pessoas mortas por ele foi 130.

Depois de se formar na Faculdade de Belas Artes da Universidade da Califórnia, o cara aproveitou esse pretexto para convencer jovens de que ele era um profissional de moda. A mídia americana diz que ele era um homem atraente e simpático, o que ajudava a atrair suas vítimas. Depois que ele foi preso no ano de 1979, foram encontradas em sua casa cerca de mil fotos de homens e mulheres jovens, em alguns casos nus. Alguns especialistas dizem que essas fotos ajudavam Alcala a prolongar seu "prazer" de cometer os crimes.


William Richard Bradford
William Richard Bradford foi preso no ano de 1984, acusado de assassinar um vizinho de apenas 15 anos de idade e uma jovem garçonete. O criminoso convenceu os dois de ficarem sozinhos com ele para fazerem uma sessão de fotos e ajudar na carreira de modelo dos jovens.

Ele foi condenado à morte, mas acabou morrendo de câncer antes de 2008. No ano de 2006 o Departamento de Polícia de Los Angeles divulgou fotos que foram encontradas no seu apartamento na década de 1980. O arquivo tinha 54 fotos de mulheres que a polícia acreditava que algumas delas também foram vítimas do assassino. A polícia só conseguiu identificar uma das mulheres, a do número 28. O corpo dela foi encontrado decapitado em Malibu, no ano de 1978.
Harvey Glatman

Harvey Glatman era um assassino em série que matou pelo menos três jovens entre 1957 e 1958, na cidade de Los Angeles. Ele também se apresentava como fotógrafo profissional e procurava suas vítimas em agências de modelos. Ele chegou a afirmar para algumas jovens que trabalhava em uma revista, que escrevia sobre questões criminais e precisava fazer uma série de fotos onde a modelo imitava uma vítima. Dessa forma ele amarrava as mulheres e tampava suas bocas. Ah, ele também pedia que as mulheres ficassem com uma expressão de medo no rosto.


Depois que a sessão de fotos achava, ele atacava as mulheres e fotografava novamente, só que dessa vez as mulheres expressavam o medo real. Depois disso, Glatman matava as mulheres e escondia seus corpos. Ele foi preso em 1958, depois de uma das suas vítimas conseguir escapar. Ele foi executado no ano seguinte.



Robert Andrew Berdella

O nome do cara era Robert Andrew Berdella, mas ficou muito conhecido como "O açougueiro de Kansas City". O cara matou pelo menos seis homens entre os anos de 1984 e 1987. O cara torturou suas vítimas e tirou fotos usando uma câmera Polaroid. O cara foi preso ainda em 1988. Ele morreu seis anos depois de ser preso, com 43 anos de idade.

E aí, qual desses serial killers vocês acharam o mais bizarro? Comentem!

Compartilhe:

Karina Faris

Poste um Comentário: