Quem visita o parque Chestnut Ridge, nos arredores de Buffalo, nos EUA, pode vislumbrar uma formação natural bastante incomum: uma queda-d’água com um “misterioso” fogo por trás.

Quem visita o parque Chestnut Ridge, nos arredores de Buffalo, nos EUA, pode vislumbrar uma formação natural bastante incomum: uma queda-d’água com um “misterioso” fogo por trás. Na verdade, existe uma explicação racional para isso, mas durante muitos anos o lugar foi alvo de especulações pra lá de mirabolantes, muitas relacionadas a elfos ou gnomos.


Tudo começou no período Devoniano, há cerca de 400 milhões de anos: com a morte de plantas e animais, seus resíduos orgânicos foram se acumulando sob camadas de areia, limo e outros sedimentos. Com o passar das eras, a pressão geológica fez esse material decomposto virar gás metano.

Com o tempo, esse gás conseguiu abrir uma brecha no solo e escapar por detrás da cachoeira, que tem 27 metros de altura e recebeu o nome de Eternal Flame Falls (ou Queda da Chama Eterna, em tradução livre). Como o metano é altamente inflamável, basta uma faísca para fazer com que a chama seja acesa.


Assim, você pode imaginar que ela realmente não é “eterna”. De fato, de tempos em tempos ela se apaga, mas sempre tem alguém para reacender o fogo. A chama pode atingir até 20 cm de altura e durante muitos anos foi alvo de lendas.

Com sua “redescoberta”, nos anos 2010, o lugar passou a ser uma atração turística muito visitada, o que causou problemas ambientais, principalmente relacionados ao lixo. E apesar de o turismo ter aumentado, as autoridades pedem que os visitantes tomem cuidado, já que o terreno do parque é bastante acidentado e escorregadio.

Seu mecanismo de funcionamento é semelhante ao da Porta do Inferno, localizada no Turcomenistão, em que o colapso de uma caverna repleta de gás natural foi incendiada em 1971 e, desde então, nunca mais parou de queimar.

Compartilhe:

Karina Faris

Poste um Comentário: