Durante os anos 70 e 80, o narcotraficante colombiano Pablo Escobar chegava a inserir mais de 15 toneladas por dia de cocaína nos Estados Unidos.

Durante os anos 70 e 80, o narcotraficante colombiano Pablo Escobar chegava a inserir mais de 15 toneladas por dia de cocaína nos Estados Unidos. Muita dessa droga era escondida em submarinos que iam de seu país de origem até Porto Rico, onde era distribuída de diversas maneiras para a terra do Tio Sam.


Eis que um desses submarinos supostamente acaba de ser encontrado por membros da CIA, a agência de inteligência norte-americana. A embarcação estaria naufragada em algum lugar da costa colombiana, mas sua localização exata não foi divulgada. O motivo? Ela pode conter pistas que levem ao tesouro perdido avaliado em mais de R$ 222 bilhões! Inclusive, a própria grana poderia estar no fundo do mar junto com o submarino.

A princípio, imagens e informações reveladas dão conta de que caixas foram encontradas junto ao submarino, mas nenhum sinal do dinheiro todo. Porém, como o leito oceânico é bem inconstante, é possível que a bolada ainda esteja por lá só precisando que os mergulhadores da CIA procurem no lugar exato. Até mesmo furacões podem ter mexido ou escondido ainda mais os vestígios.

Relatos históricos apontam que, quando o cerco ao Cartel de Medelín se tornou mais intenso, um confronto entre os traficantes, a Guarda Costeira e a Marinha teria feito com que os criminosos jogassem a grana no mar – possivelmente em um submarino? Não se sabe, mas a galera sempre alimenta o sonho de encontrar uma fortuna.

Escobar foi morto em 1993, em uma operação conjunta entre os EUA e a Colômbia. Desde então, sua “herança” permanece um mistério. Em 2009, “míseros” US$ 8 milhões foram descobertos no meio da selva – algo mínimo perto do que supostamente ainda se encontra sumido da fortuna de um dos maiores narcotraficantes da história.


Compartilhe:

Karina Faris

Poste um Comentário: