Confira os argumentos que comprovam (ou desmentem) a existência deles.

Não sabemos, e isso é um mistério que desafia todas as probabilidades. O físico italiano Enrico Fermi fez essa pergunta em 1950, no que ficou conhecido como o paradoxo de Fermi. Ele partiu da ideia de que a Terra é um planeta como outro qualquer. Logo, a vida extraterrestre seria comum.



Estima-se que existam no Universo visível cerca de 70 sextilhões de estrelas – 200 a 400 bilhões só na Via Láctea – e 100 planetas parecidos com a Terra para cada grão de areia do nosso mundo. Mesmo que em só 1% desses planetas a vida se desenvolvesse, cada grão de areia terrestre representaria um planeta com vida.

Como explicar, então, que até hoje não fizemos contato com raças alienígenas? Até o momento, o satélite Wise da Nasa explorou cerca de 100 mil galáxias das 170 bilhões estimadas em busca de sinais de vida. O que encontrou: nada.

O PARADOXO DE FERMI
Teorias para explicar a pergunta que não quer calar

Eles existem! Há diversas razões para justificar a falta de contato:
– A Terra já foi visitada por seres extraterrestres no passado,quando o homem era primitivo demais para entendê-los como uma outra civilização

– Culturas muito evoluídas podem ter aprendido a fazer upload de suas mentes para um supercomputador e estão vivendo em um universo digital

– Civilizações mais avançadas sabem da nossa existência e nos observam sem se revelar

– Somos primitivos demais ou de uma natureza muito diferente para estabelecer comunicação com uma espécie extraterrestre

– Ainda não procuramos o suficiente. Não faz sequer um século que a busca por vida inteligente começou.Tecnologias que dão chances reais de contato foram criadas só muito recentemente

– Viajar para outros planetas pode ser pouco interessante,inviável ou mesmo desnecessário para outras civilizações

– Existe uma espécie superpredatória no Universo que controla a evolução das demais ou as extingue quando elas chegam a um determinado estágio evolutivo

– Sinais ou sondas alienígenas ainda não chegaram até nós devido à imensa distância

– O conhecimento e a tecnologia disponíveis ainda são insuficientes para se comunicar com outras civilizações

Eles não existem! As hipóteses que sustentam esse argumento são conhecidas como O Grande Filtro

Somos especiais
O Grande Filtro seria um momento da evolução em que, por algum motivo, quase todas as espécies morrem. Uma das hipóteses afirma que nós já passamos pelo Grande Filtro. Os humanos seriam, portanto, um verdadeiro acidente evolutivo, um caso excepcional. Por isso não temos iguais. Pode até ser que aliens surjam no futuro, mas não resistirão ao Grande Filtro como nós

Somos pioneiros
Uma segunda hipótese afirma que seríamos a primeira civilização a passar pelo Grande Filtro. Foi preciso esperar milhões de anos para que a Terra se tornasse apta ao surgimento da vida, e essa evoluísse ao nível da inteligência. O mesmo pode estar começando a rolar agora em outro lugar no Universo. Mas isso ainda não ocorreu

Estamos ferrados
A tese final é a de que ainda iremos passar pelo Grande Filtro. Segundo ela, civilizações inteligentes tendem a se autodestruir ou serem eliminadas por espécies superiores ou eventos naturais (essas coisas podem ser o Grande Filtro). Povos que poderiam se comunicar já teriam sumido. E, antes que possamos fazer contato, nós também teremos.

Compartilhe:

Karina Faris

Poste um Comentário: