A cada esquina é possível encontrar algum homem ostentando uma bela barba e com muito orgulho disso.

A cada esquina é possível encontrar algum homem ostentando uma bela barba e com muito orgulho disso. Entre cores, cortes e tamanhos diferentes, as barbas e bigodes atraem fãs e usuários em todas as partes, mas se você é uma pessoa atenta, já deve ter ouvido por aí alguém dizendo que barbas não são necessariamente higiênicas. Será que essa afirmação procede?

“Glândulas sebáceas na face, peito e nas costas são maiores do que aquelas na cabeça, então os cabelos saindo do rosto são provavelmente revestidos com mais óleo. Bactérias gostam de se alimentar de óleo, então há mais bactérias vivendo na barba ou na base da barba do que comparado com os cabelos da sua cabeça”, explicou a dermatologista Dra. Whitney Bowe, em declaração publicada no Mental Floss.

Além da quantidade, vale saber que o tipo de bactéria também muda em relação aos pelos das partes do corpo, mas ainda que isso pareça meio nojentinho, ter bactérias pelo corpo não é necessariamente uma coisa ruim – pelo contrário: muitas das bactérias existentes no corpo humano servem para mantê-lo em equilíbrio; nem todas causam infecções.

Cuidados

A dermatologista explicou que homens que vivem acariciando suas barbas têm mais chances de pegar uma gripe, por exemplo, já que vírus e outros micro-organismos podem ser transportados pela mão. Isso vale para todo mundo, na verdade: quanto mais tocarmos nosso rosto, mais chances temos de pegar algum tipo de infecção, por isso é sempre tão importante lavar bem as mãos com frequência.

Ainda que não haja comprovação efetiva de que homens barbudos tendem a ter mais problemas de pele como a acne, Bowe contou que não são raros os barbudos que recorrem a ela para resolver problemas como eczma, espinhas, ressecamento e vermelhidão no rosto – os casos pioram entre os que não costumam lavar o rosto adequadamente.

Alguns barbudos chegam a desenvolver dermatite de contato, que é uma irritação na pele causada pela presença de vestígios ácidos e apimentados de alimentos e bebidas que acabam ficando presos à barba.

Raspar, então?

Acha que a solução é manter a barba raspada? Bem... Na verdade, isso também causa alguns probleminhas de pele, já que muitos rapazes acabam com o rosto cheio de bolinhas depois de passar o barbeador – o efeito é pior em quem tem pelos mais encaracolados.

Produtos cosméticos adstringentes também pioram a qualidade da pele, já que provocam ressecamento. A solução? Tratar a barba de maneira diferente. É preciso sempre ensaboar muito bem a barba e fazê-la depois de tomar um banho quente, já que o calor e a umidade deixam os pelos mais macios – depois, vale passar uma loção não oleosa que não provoque o bloqueamento dos poros da face.

Ainda que os barbudos tenham, sim, mais bactérias no rosto do que as pessoas que não têm barba, não há motivo para pânico nem alardes: essas bactérias não são facilmente transferíveis para as outras pessoas. Manter a região sempre limpa é o ideal.

Compartilhe:

Karina Faris

Poste um Comentário: