Você já deve ter ouvido a seguinte frase: "dinheiro não compra felicidade", mas será que isso é verdade?

Você já deve ter ouvido a seguinte frase: "dinheiro não compra felicidade", mas será que isso é verdade? Bom, uma nova pesquisa sugere que existe um limite para o quão benéfica é uma alta renda para o bem-estar de uma pessoa.


"Isso pode ser surpreendente, como o que vemos na TV e o que os anunciantes nos dizem que precisamos indicaria que não há limite máximo quando se trata de quanto dinheiro é necessário para a felicidade, mas agora vemos que há alguns limiares", diz o estudo de Andrew Jebb, doutorando no Departamento de Ciências Psicológicas da Universidade de Purdue.

Jebb e seus ajudantes usaram dados da pesquisa da Gallup World Poll. Foram coletado informações de mais de 1,7 milhões de adultos de mais de 15 anos de 164 países. Os participantes responderam questões relacionadas à satisfação ao bem-estar de vida, bem como o poder de compra.

Renda ideal

A pesquisa revelou o ponto de renda ideal. Em média, a pessoa precisaria de US$ 95.000 para a satisfação geral da vida e entre US$ 60.000 e US$ 75.000 para o bem-estar emocional. Na América do Norte, o limite para e felicidade foi alcançado com uma renda de US$ 105.000. Esses dados sugerem que a renda importa mais para pessoas que vivem em nações mais ricas, segundo o estudo.

Mais uma vez, esse valor é para indivíduos e provavelmente seria maior para famílias", disse Jebb no comunicado. "Houve uma variação substancial em todas as regiões do mundo. O ponto além do qual não se gera mais felicidade e, de fato, a satisfação diminui, ocorre mais tarde em regiões mais ricas. Isso pode ser porque as avaliações tendem a ser mais influenciadas pelos padrões pelos quais os indivíduos se comparam a outras pessoas ".

E aí, o que acharam da matéria? Acreditam que poderiam ser felizes com essa renda? Comenta aí e não se esqueça de compartilhar com os amigos, lembrando que seu feedback é sempre muito importante.

Compartilhe:

Karina Faris

Poste um Comentário: