Pacientes sofriam de degeneração macular relacionada à idade. Cirurgia com células-tronco é a primeira a restaurar a visão de quem mostra sintomas da doença

Douglas Waters, um senhor britânico de 86 anos, tem muito a comemorar. Há alguns meses, ele mal conseguia enxergar — por anos, ele conviveu com uma mancha central na visão do olho direito, que só aumentou ao longo do tempo. “Agora eu posso ler o jornal de novo”, contou emocionado à BBC. Após uma cirurgia inédita com células-tronco, a visão voltou ao normal. Ele e outro paciente foram as primeiras cobaias a participar do novo método de tratamento.



Os dois haviam sido diagnosticados com uma doença chamada degeneração macular relacionada à idade, responsável por quase metade dos casos de cegueira em pessoas acima de 55 anos. Nesses pacientes, as células da mácula da retina, responsáveis pela visão central e percepção de detalhes e cores, começam a morrer. A visão passa a ficar embaçada, os traços retos parecem um pouco curvos, até surgirem pontos escuros crescentes no centro do olho. Estima-se que três milhões de brasileiros tenham essa doença.

Até então havia apenas um tratamento, à base de injeções intraoculares, que podiam impedir a progressão da doença e até restaurar parte da visão. Mas o experimento dos médicos britânicos se mostrou menos doloroso e mais eficaz. A partir de células-tronco embrionárias, eles criaram novas células de uma das camadas da retina (epitélio pigmentado) e implantaram na parte de trás dos olhos de seus pacientes.

Embora o organismo tenha apresentado alguns pequenos indícios de rejeição logo após a cirurgia, nos 12 meses que se seguiram, os dois pacientes estavam saudáveis. E a com a visão normal. A expectativa dos médicos é que, em até cinco anos, a técnica possa ser aplicada em todo o Reino Unido.

Compartilhe:

Karina Faris

Poste um Comentário: