Hoje é uma data muito importante, ao menos para os fãs de matemática: nela se comemora o Dia do Pi.

Hoje é uma data muito importante, ao menos para os fãs de matemática: nela se comemora o Dia do Pi. Para quem não se lembra das aulinhas na escola, trata-se do número obtido com a divisão da circunferência de um círculo por seu diâmetro. E como hoje é 14 de março, escrito lá nas gringa como 3/14, ficou conhecido como o dia desse número.



Segundo a história, o matemático Arquimedes de Saracusa, que viveu no século 3 a.C., teria sido o primeiro a calcular o pi. Depois dele, as ciências entraram em um período estranho e pouco ativo. Foi só por volta do ano 1.000 de nossa era que os árabes começaram novamente a estudar os cálculos matemáticos com mais afinco.

Nessa época, os estudos indo-arábicos começaram a se espalhar por toda a Europa, causando impacto na aritmética e na trigonometria, por exemplo. O número pi foi um dos afetados: em 1665, Sir Isaac Newton registrou 16 dígitos depois da vírgula – algo que até hoje não chegou a um fim.

Porém, nessa época o 3,14 ainda não era chamado de pi. Foi só em 1706 que o matemático britânico William Jones se referiu a ele usando a letra grega Pi (π), popularizada futuramente pelo suíço Leonhard Euler. Ele também adotou a letra grega, que corresponde ao nosso “P”, já que o pi se refere ao “P”erímetro do círculo. Ou seja, não foram nem mesmo os gregos que nomearam o numeral!

Já o Dia do Pi foi instaurada há apenas 3 décadas: cientistas do Exploratorium, um museu de ciência de São Francisco, nos EUA, se reuniram com roupas e chapéus temáticos para celebrar o dia 3/14. Em 2009, a Câmara dos Deputados da terra do Tio Sam oficializou a data como Dia Nacional do Pi como forma de incentivar as escolas e ensinarem a importância desse número na matemática e nas ciências.

Compartilhe:

Karina Faris

Poste um Comentário: