No auge dos seus 42 anos, Sudan não conseguia dar uma volta no parque sem ter a companhia de três guarda-costas armados.

No auge dos seus 42 anos, Sudan não conseguia dar uma volta no parque sem ter a companhia de três guarda-costas armados. Ele era monitorado 24 horas por dia e sete dias por semana. Se você pensou que Sudan é algum tipo de milionário, errou. Se trata do último macho conhecido do rinoceronte-branco do norte.


Mas algo que assusta e deprime cientista está acontecendo, Sudan está morrendo. A morte do animal significaria que apenas duas fêmeas de sua subespécie sobreviveriam, e qualquer esperança de tentativa de fertilização in vitro para impedir que o rinoceronte branco do norte seja extinto seriam em vão.

Sudan


No final de 2017, Sudan estaria com 45 anos, uma idade avançada para esse tipo de animal. Ele vive com duas fêmeas na Ol Pejeta Conservancy no Quênia, e acabou desenvolvendo uma infecção na perna direita. Ele recebeu o melhor tratamento veterinário que um animal poderia ter e se recuperou rapidamente. Mas infelizmente, a infecção parece ter retornado.

"Recentemente, uma infecção secundária e muito mais profunda foi descoberta abaixo da inicial", explicou o Ol Pejeta, em um comunicado. "Isso foi tratado, mas é preocupante. A infecção está levando mais tempo para se recuperar, apesar dos melhores esforços de sua equipe de veterinários que lhe dão cuidados 24 horas, com todo o possível para ajudá-lo a recuperar sua saúde". E o que estudiosos mais temem é que essa infecção venha a mata-lo.

Só o tempo irá dizer se Sudan irá se recuperar dessa última luta, mas as coisas não estão indo tão bem.

"Estamos muito preocupados. Ele é extremamente antigo para um rinoceronte e não queremos que ele sofra desnecessariamente", escreve Ol Pejeta. "Nós manteremos todos atualizados sobre o desenvolvimento dele. Mantenha-o em seus pensamentos. "

E aí, o que acharam da matéria? Comenta aí e não se esqueça de compartilhar com os amigos, lembrando que seu feedback é sempre muito importante.

Compartilhe:

Karina Faris

Poste um Comentário: