Em menos de um dia, aquela água onde você depositou um pedacinho do seu ser já estará tratada e pronta para ser devolvida aos rios

1. Depois de dar a descarga, o cocô viaja por canos interligados, que coletam o esgoto de toda a cidade, até uma estação de tratamento. Lá, os dejetos são tratados em duas fases: líquida e sólida. O processo de tratamento de esgoto, do momento em que ele chega à estação até se transformar em água limpa, leva aproximadamente 15 horas


2. Na estação, o esgoto passa por uma série de grades, uma mais fechada do que a outra, que são responsáveis por reter objetos maiores – plásticos, papéis e tudo aquilo que as pessoas não deveriam jogar na privada

3. A segunda etapa remove areia e outras partículas pesadas, que ficam no fundo do tanque após o processo de decantação. O líquido que sobra vai para um recipiente com bolhas de ar, que impulsionam a atividade das bactérias, que consomem o material orgânico e diminuem a carga poluidora

4. Enquanto isso, a parte sólida vira uma espécie de lodo e passa por equipamentos que aumentam sua densidade. Microrganismos são introduzidos no composto e se alimentam do que sobrou de matéria orgânica. Nessa etapa, o material já não tem mais cheiro ruim

5. No final do processo de tratamento, a parte líquida já está 90% limpa. Essa água não pode ser consumida e é descartada em rios, sem risco de poluir, ou vira água de reúso, que é aproveitada por indústrias

6. Por fim, o lodo é filtrado e prensado. O produto final é encaminhado para desidratação, formando tortas (algo parecido com barro seco), e depois segue para um aterro sanitário. Curiosidade: Só na região metropolitana de São Paulo são tratados, em média, 16,4 mil litros de esgoto por segundo

Compartilhe:

Karina Faris

Poste um Comentário:

0 comments so far,add yours