Alguns comportamentos podem ser vistos como soberbos. Do mesmo modo, muitas pessoas acreditam ter menor capacidade do que têm na realidade. Entenda mais sobre o efeito Dunning-Kruger.

As percepções a cerca do conhecimento sobre determinado tema podem, em algumas situações, colocar a pessoa em situações delicadas, e até vexatórias. Aliás, a situação tem ganhado bastante destaque nas redes sociais, por exemplo, onde se encontram pessoas que acreditam ser expertas em assuntos sem que, na verdade, realmente o sejam.

Por mais que isso possa incomodar ou esgotar a nossa paciência, nem sempre se trata de arrogância ou prepotência. Ao menos é o que diz o efeito Dunning-Kruger, que explica o comportamento através de uma percepção equivocada que a pessoa tem das suas próprias habilidades. Vale tanto para quem se acha mais do que é quanto para o inverso: pessoas que tendem a se sentir inferior e julgam ter menos conhecimento do que realmente possui, denotando subvalorização e baixa autoconfiança.


Os impactos do efeito Dunning-Kruger
Quem sofrem com o efeito Dunning-Kruger vê seu dia a dia sendo impactado negativamente, e essa interferência afeta tanto a vida pessoal como a profissional. É muito habitual que nas relações íntimas a pessoa seja mal interpretada por parceiro, amigos ou família, sendo irremediavelmente vista como prepotente.

No ambiente de trabalho, os efeitos podem ser ainda mais negativos. A verdade tende a vir à tona quando a pessoa tem seus conhecimentos colocados à prova e falha, algo que afeta o desempenho (dela e do grupo) e deixa marcas na autoestima e confiança. O ambiente pode ficar mais tenso e com muito espaço para o surgimento de conflitos.


Quando o efeito Dunning-Kruger se manifesta na subvalorização, leva a pessoa a não acreditar em si mesma, e, por isso, pode perder oportunidades de crescimento, se equivocar na hora de tomar decisões importantes, sofrer ao ver colegas menos capacitados ocupando cargos superiores, dentre outros fatores que alimentam a baixa autoestima e minam a autoconfiança.

A origem do efeito Dunning-Kruger
Para provar o efeito, os psicólogos David Dunning e Justin Kruger realizaram uma série de experimentos com os alunos de Psicologia da Universidade de Cornell (EUA). No estudo, publicado em 1999, eles constataram que:

"A ignorância gera confiança com mais frequência que o próprio conhecimento."

Os alunos foram submetidos a testes de autoavaliação em lógica, gramática e humor. Com os resultados em mãos, David Dunning e Justin Kruger constataram que os alunos com menor desempenho superestimaram suas habilidades, enquanto os melhor avaliados fizeram uma leitura correta da situação.

Conforme a teoria, a pessoa incompetente tem problemas em detectar a sua realidade,justamente por não ter as habilidades necessárias para isso. Por outro lado, quem possui conhecimento, consegue fazer uma análise da situação e verificar em que áreas poderia ser melhor, ou em quais está rendendo abaixo do almejado.


Indícios do efeito Dunning-Kruger
Pessoas que acreditam saber mais do que a realidade, segundo a teoria, tendem a ter:
  • Dificuldade em reconhecer a própria falta de conhecimento
  • Dificuldade em reconhecer as habilidades de outras pessoas
  • Dificuldade em reconhecer a extensão da própria incompetência
Por outro lado, os pesquisadores afirmam que a pessoa conseguirá reconhecer e admitir a sua falta de habilidade para uma função assim que for treinada para ela.

Detectar o efeito Dunning-Kruger é o primeiro passo. Psicólogos especialistas em desenvolvimento pessoal recomendam o acompanhamento psicoterápico para trabalhar as questões relacionadas a habilidades, autoconfiança e expectativas. Quanto antes detectado, menores tendem a ser os impactos pessoais e profissionais que o o efeito Dunning-Kruger. Nao deixe de compartilhar esta informação, caso conheça alguém que precisa de ajuda.

Compartilhe:

Karina Faris

Poste um Comentário:

0 comments so far,add yours